Get Adobe Flash player

Who's Online

Nós temos 22 visitantes online

Statistics


Warning: Creating default object from empty value in /home/appli617/public_html/hudsonwillian/modules/mod_stats/helper.php on line 106
Visualizações de Conteúdo : 505914

Translate

Home Arte Marcial Artes Marciais em Tempos Modernos

Artes Marciais em Tempos Modernos

kung_fu_monges

 

Muito se discute em tempos modernos a finalidade das artes marciais para o ser humano como um todo, em razão disto, passo a explanar o meu ponto de vista a respeito deste embate filosófico, no qual opto pela aplicação do conceito subjetivo a materialidade necessária do campo das expiações e provas, para que somente após a efetiva aplicabilidade, possa vir a formar opiniões, as quais deverão ser fruto de experimentação.

Penso inicialmente que a parte marcial das artes de combate, assim denominadas Artes Marciais, surgiram da necessidade de preservação do individuo, expressão do instinto de conservação e sobrevivência.

Em que pese todo meu respeito as opiniões que de uma forma ou de outra divergem sobre meu ponto de vista aqui apresentado, acredito que a evolução que se deu no contexto espiritual e filosófico veio a se desenvolver lado a lado com a necessidade de conservar a integridade física pessoal, bem como de terceiros, alem da luta diária pela sobrevivência em seu mais amplo aspecto.

Assim, facilmente presume-se que seguindo o extinto animal, respeitando em regra a famosa “lei da selva”, onde o maior sempre se sobrepõe ao menor, a estratégia e a inteligência aplicada, o que podemos hoje em dia fazer uso do conceito de inteligência marcial, acabou por diferenciar as relações entre os animais, em especial ao ser humano, o qual é detentor do conhecimento das artes marciais, após sua qualificação em uma ou mais modalidades escolhidas, dando condições da estratégia superar a então dominadora força física.

Desta forma, da necessidade da sobrevivência, do extinto de auto preservação e dos semelhantes, acredito este ser o motivo propulsor do surgimento das artes marciais no contexto social que se confunde com a própria origem da humanidade, haja vista notarmos relatos de conflitos corporais em todos os escritos arcaicos, demonstrando assim, esta estreita relação que se confunde com a origem animal.

Com a evolução da sociedade, desde os primórdios até os dias de hoje, busca-se mecanismos em que se possa garantir a segurança do individuo, até chegarmos as famosas políticas governamentais de segurança Publica, na qual tive o prazer de treinar muitos representantes desta força, sendo eles policiais civis e militares, bem como a segurança privada que por uma razão ou por outra, buscaram aprimorar seus conhecimentos junto ao nosso conceito de defesa pessoal.

Seguindo este plano modelo de segurança publica, a nível mundial, buscou-se entregar ao Estado a responsabilidade pela segurança do individuo e da sociedade como um todo, porem, com a crescente demanda da ação dos marginais bem como a evolução dos conflitos interiores cultivados por uma realidade densa que busca mais o “ter” para “ser” do que “ser” para “ter”, os conflitos entre semelhantes continua a crescer, razão pela qual, abriu há tempos um novo leque nesta vacância, a conhecida segurança Privada.

Este quadro nos leva a tirar varias conclusões, dentre as quais saliento as que são diretamente relacionadas ao ponto onde quero chegar, não descartando e se quer desprezando as demais, porem, sendo sucinto, concluo com facilidade que a necessidade de um mínimo de conhecimento sobre defesa pessoal é de grande valia, principalmente quando estivermos a frente de uma situação em que o poder publico ou ainda a segurança privada não estiver presente para lhe assistir e agir em sua defesa.

Nesses momentos em que a seu favor, só esta você, e ninguém mais, o que fazer?

Diz a musica de nosso nobre cantor e compositor Almir Sater: “Os caminhos mudam com o tempo, só o tempo muda um coração...” pois bem, fazendo uso deste trecho, lhe convido a seguir minhas palavras na busca do âmago de minha explanação.

Vivemos em um tempo onde a violência esta cada vez mais crescente, causando uma insegurança geral na sociedade, demonstrando que precisamos estar mais preparados para enfrentar os desafios do mundo moderno, assumindo os riscos e tendo responsabilidade para com a nossa preparação para encarar estes desafios e nesta seara, a arte marcial é uma grande opção para contribuir de forma decisiva.

Os ataques que recebemos são cada vez mais constantes e mutáveis em nosso mundo moderno e competitivo, e quando me refiro aos ataques estou usando o termo em seu sentido mais amplo, mas para afunilar de modo preciso os pontos contundentes onde acredito que a arte marcial tem um importante papel no desenvolvimento humano interpessoal e para com o resto do mundo, passarei a elencar alguns.

Ataques Emocionais- Este alvo embora por muito tempo foi ignorado pela grande massa, ou ainda pouco abordado e nem por isso menos importante na formação de um individuo como pessoa, tem o poder de causar sérios danos e porque não dizer eternos danos a vitima, que na maioria das vezes pode se sentir inferior em seu meio, desacreditando em seu potencial, minando sua auto estima, achatando sua capacidade de comunicação e desenvolvimento pessoal no âmbito familiar, estudantil, amoroso, laboral levando a podendo levar até mesmo a tão conhecida doença do século: a depressão.

Particularmente, acredito que estes ataques são os mais covardes e perigosos, pois podem agir de forma subliminar, em indivíduos com pouca maturidade ou ainda em fase de formação, podendo gerar danos de difícil reparação e muitas vezes, as pessoas que estão ao lado da vitima, não tem conhecimento de tais ataques ou ainda não tem preparo suficiente para auxiliá-lo na defesa dos mesmos, o que caracteriza um inimigo oculto, invisível, que te conduz ao caminho da derrota, impedindo de lhe mostrar as causas.

Neste âmbito, acredito por ter presenciado e continuar a conviver com esta realidade, uma vez que meu trabalho esta diretamente relacionado com o publico adolescente, não menos que os demais públicos, porem, como estes estão em fase em que passam a conhecer o mundo de uma forma mais ampla, vejo a arte marcial como uma importante ferramenta de evolução e defesa para estes ataques, uma vez que estimula o cultivo de sua auto estima, auto superação, auto conhecimento de forma aplicada, saindo do campo das expiações e trazendo ao campo pratico, dia-a-dia, treino após treino, vivendo uma atmosfera harmoniosa em ritmo de combate, contraste tão intenso como a realidade cotidiana, seguindo o equilíbrio Yin e Yang.

Como estudante de Direito, na época de acadêmico, ouvi um conceito muito simples utilizado naquela ciência, que resume uma realidade vital: “O conflito traz evolução”. Desta feita, a ferramenta operacional que a arte marcial oferece para o praticante, será de vital importância para a superação esperada, causando o efeito contrario pelos ataques, ou seja, ao invés de enfraquecer o agredido, passa a fortalecê-lo cada vez mais, aflorando seu poder pessoal, valendo-se do conflito para a busca de sua evolução na tríade inseparável que deve avançar em harmonia: corpo, mente e espírito.

Somos dotados de uma natureza guerreira que nos guia ante os embates da vida, que faz com que continuemos vivos a cada segundo, perpetuando a espécie em um ciclo interminável baseado em uma força Maior que assim determinou, porém, para que possamos aflorar nosso potencial, temos que ser colocados a prova a cada momento, dia após dia, combate após combate.

Muitas vezes no anseio de preservar as pessoas que amamos, como por exemplo, os pais para com os filhos, cerceamos parte dos combates em que os mesmos devem travar, tentando protegê-los das derrotas ou cicatrizes que estão arriscados a experimentar e ao invés de deixarmos cada qual seguir seu caminho na trilha da evolução pessoal, atrasamos este processo, prejudicando este individuo com um todo.

Exemplo claro de situações como a que descrevo, são pais de alunos que muitas vezes se posicionaram contra as escolhas dos filhos em praticar uma arte marcial, com o receio de possíveis lesões decorrentes do treinamento, bem como os riscos inerentes a atividade de luta. Estes filhos, a contra gosto acabam seguindo as orientações dos pais e em seguida, não conseguem lidar com as dificuldades do dia-a-dia e não tendo a devida sustentação, acabam caindo nos mundos das drogas e da criminalidade, quando a egrégora das artes marciais impediria que esta postura fosse adotada pelo mesmo.

Não são raros os casos que estes mesmos pais voltam e pedem auxilio, pois tais condutas não ocorriam no tempo em que seus filhos estavam sobre a égide do treinamento marcial, porém, na maioria das vezes, pouco pode se fazer após o desvio do caminho anteriormente escolhido.

Ainda diante da correria do mundo moderno, muitos pais não dispõem do tempo necessário para ajudar em muitos momentos importantes de travessia na fase da adolescência, e estes jovens, buscam em seu Mestre respostas e auxilio para a superação destas duvidas e obstáculos, com uma liberdade que as vezes não encontram dentro de casa.

Impressionado, toda semana vislumbro na TV casos de agressão em que muitas vítimas acabam sendo mortas a pauladas, espancadas e sem se quer ter o mínimo de noção de defesa pessoal, são arrasadas por seus agressores.

Acredito que o final destas vítimas poderia ser diferentes se tivessem conhecimento de artes marciais, porem, muitas vezes por falta de opção ou por opiniões alheias acabam se privando deste conhecimento, o qual poderia se de vital importância em muitos casos.

Importante frisar que mais importante que pensar pelo seu ente querido, é ensiná-lo a pensar por si próprio, uma vez que haverá um momento que não poderemos estar lado a lado com ele, razão pela qual este será o único responsável por suas escolhas, como na parábola em que o Mestre Jesus fala sobre a diferença de “dar o peixe e ensinar a pescar”.

Arte Marcial não é uma religião, não é uma seita, mas sim um dos muitos caminhos de evolução humana, na busca do conhecimento pessoal em prol da evolução do ser como um todo, que faz uso da milenar cultura oriental para ir de encontro com um bem maior.

Preservação da Integridade Física Pessoal e de terceiros- este é o ponto mais conhecido pelo grande publico que muitas vezes considera que as artes marciais estão démodé por conta deste único objetivo. Pois bem, mesmo que fosse este único objetivo, volto afirmar que ainda assim seria um objetivo nobre e que nunca sairá de moda e necessidade.

Para justificar tal apontamento eu poderia seguir por diversos caminhos filosóficos e espirituais, mas na busca de ser objetivo com as palavras e conceitos, posso pensar de forma espiritual: “ Meu corpo é templo do Espírito Santo de Deus, e como tal, devo protegê-lo a qualquer custo” ou ainda pelo próprio instinto animal de preservação da vida, preciso estar preparado para supostos ataques contrários a minha segurança. Ou ainda das pessoas que amo.

Como diz a sabedoria chinesa, “Crie um gatinho junto a filhotes de Tigre e terá um Tigre” a inversão do ditado também nos traz a mesma realidade.

Quantos podem bater no peito e se declarar um verdadeiro guerreiro? Quantos?

Todo nós nascemos para ser vencedores e através de nossas lutas e batalhas conhecemos o gosto doce da vitoria como também passamos a conhecer o amargo da derrota. Mas ainda assim sou forçado a afirmar dentre as minhas experiências próprias e dos que me cercam que a derrota para quem consegue superar ensina mais do que a vitória.

A sociedade cada vez mais busca abafar o instinto de guerreiro do ser humano, quantos menos guerreiros, mais fácil dominação pelos mais fortes, desta forma, sobram mais espaço para aqueles que estão em busca do poder e da dominação. Vale lembrar a política Romana: “pão e circo” , tão antiga e tão atual.

Um guerreiro moderno subsiste hoje em meio as batalhas que evoluíram com o passar dos séculos, porem, nossa realidade e batalha sempre se renova, porem, os objetivos são os mesmos, o que muda são os métodos de batalha, as armas usadas, razão pela qual as artes marciais estão e serão sempre atuais.

Hoje a luta continua representada pelo pai de família que acorda cedo, pega duas ou três conduções para chegar ao seu trabalho, faz horas extras, bicos, e uma serie de atividades paralelas para garantir o sustento de sua família, dar estudo, e melhores condições de moradia.

Temos também como exemplo o jovem que busca com seu estudo o tão sonhado lugar ao Sol, buscando cursos técnicos, faculdades, estudar vários idiomas, para se preparar para o mercado de trabalho e resistir toda a pressão que a sociedade lhe impõe.

Desta forma, o papel das artes marciais esta tão atual, pois vem resgatar a capacidade do ser humano em lidar com adversidades, a cultivar o espírito de superação, aumentando-lhe a auto-estima e mostrando que com determinação e dedicação, seu trabalho e esforços serão recompensados.

Assim, ainda devemos levar em consideração o beneficio da atividade física para a saúde, tanto do corpo quanto a higiene mental, alivio do tão famoso “stress”, origem de doenças nas mais diversas áreas da medicina.

Por fim, eu poderia escrever durante horas sobre os benefícios das artes marciais para a vida do praticante, iniciando desde o cultivo e preparação de um guerreiro para a vida moderna, até sobre o distanciamento dos vícios que acometem nossa sociedade, com o álcool, as drogas etc...

Mas ainda assim, acredito que para complementar toda esta informação que aqui disponibilizo, bem como acrescentar de forma infinita uma serie de outros benefícios, caberá a cada qual com sua experiência aplicada a continuar a escrever este tópico na vida das pessoas, contribuindo assim, para perpetuar o legado dos ancestrais.

O convite é para que você venha fazer parte de nosso universo e tire suas próprias conclusões.