Get Adobe Flash player

Who's Online

Nós temos 19 visitantes online

Statistics


Warning: Creating default object from empty value in /home/appli617/public_html/hudsonwillian/modules/mod_stats/helper.php on line 106
Visualizações de Conteúdo : 511608

Translate

Home Artigos Artigo - A Honra

Artigo - A Honra

 

Esta lenda chinesa me foi contada por um colega de academia, há muitos anos atrás, este por sua vez, me relatou que tinha ouvido esta estória de seu pai., quando ainda criança na China.

“ Dois amigos haviam feito um pacto de amizade eterna(o que muitas vezes já ouvimos falar com o chamado pacto de sangue), e fazendo juras recíprocas que um seria pelo outro até o fim de suas vidas.

Os anos se passaram e em determinado momento da vida, tiveram que se separar, sendo que um deles deixaria a China e passaria a viver do outro lado do mundo com sua família.

No momento da despedida, estes dois companheiros combinaram de se encontrar em 20 anos, naquela mesma data, naquele mesmo local para então jantarem juntos e se encontrarem.

Assim, foi feito e os mesmos nunca mais se falaram até o termino daqueles vinte anos.

Passados os vinte anos, por volta das cinco horas da tarde, o amigo que ainda se encontrava na China, deixou tudo preparado para receber naquela data a visita, conforme haviam combinado a duas décadas atrás.

De hora em hora, pedia para sua esposa esquentar a comida, pois sabia que a qualquer momento poderia chegar o amigo ante o compromisso assumido.

Passadas varias horas, a milhares de quilômetros de distancia, seu amigo recordou do compromisso assumido, e vendo que já estava por demasia em atraso, uma vez que levaria dias para chegar a China, passou a sofrer com aquela situação, pois sua palavra estava selada, e com ela a sua Honra.

Após muito pensar sobre a situação, lembrou se de um provérbio antigo chinês: Para os espíritos, não há distancia que seja separada pelo tempo.

Desta forma, deu cabo de sua vida e logo após, chegou na casa de seu amigo, em espírito.

La chegando, após muita conversa e regozijo pelo reencontro, no momento da refeição, o mesmo se negou a fazê-la com seu anfitrião.

Indagado por que a recusa, o visitante teve que lhe contar como fez para chegar a tempo de seu compromisso, o honrado com o pacto um dia feito.

Esta estória ilustra o valor de um compromisso, demonstrando que não há documentos, assinaturas, ou qualquer outro meio que se sobreponha a palavra de quem a deu, sentimento este muito enraizado na cultura oriental e que deve servir de exemplo para nós, um povo que ainda esta a crescer com apenas 500 anos de historia, contra uma civilização milenar.

Temos muito a aprender, mas para isso, é necessário ser humilde para reconhecer os pontos frágeis de nosso caráter e conduta, para que então, possamos nos submeter a uma reforma intima profunda, evoluir ao ponto mais alto, que não é este outro motivo para que estejamos neste mundomestre_hudson_e_mestre_li_hon_ki_em_templo_budista_Hong_Kong