Get Adobe Flash player

Who's Online

Nós temos 40 visitantes online

Statistics


Warning: Creating default object from empty value in /home/appli617/public_html/hudsonwillian/modules/mod_stats/helper.php on line 106
Visualizações de Conteúdo : 511632

Translate

Home Artigos A sensibilidade para Zelar

A sensibilidade para Zelar

KWAN HUAI 關懷 " A sensibilidade para zelar”
Por Mestre Dani Hu.
Matéria gentilmente cedida pelo Mestre Dani Hu ao site do Shifu Hudson Willian. Toda nossa familia Kung Fu agradece. 
Shifu Hudson Willian
pescador
O Kwan huai, não pertence só ao Shen She chuen Kung fu, uma vez que, o principio da “consciência zelosa”, já se faz presente nos primórdios do pensamento chinês, sendo citado por importantes filósofos, que o compreendiam como uma via para o entendimento da natureza humana, na sua conscientização, e na sua conduta ao abordar as suas metas, sem comprometer o desenvolvimento, a manifestação, e a ordem natural das coisas.
Consciente desse principio, adotamos uma conduta interior mais sensível e cuidadosa, para não interferir-mos, inconsequentemente, na evolução natural de uma manifestação, permitindo que, o objetivo almejado, ocorra naturalmente. A sensibilidade e o cuidado, se manifestam, basicamente, através da conscientização das três abordagens, sendo elas: “interesse por”, “atenção para”, e “zelar por”.
No interesse por, estão a mobilização interior e exterior, para abordar o que você se interessou, sendo que, a mobilização interior não se refere ao “desejo de”, e sim, a busca do entendimento do que levou você optar por abordar. Na exterior, está a manifestação do seu interesse, através da sua dedicação, respeito e receptividade, necessárias para o seu processo de desenvolvimento.
Na atenção para, estão a dedicação, a atenção, e principalmente, o compartilhar do conhecimento. A dedicação ocorre na pratica sincera, enquanto que a atenção, se manifesta no cuidado necessário ao abordar cada situação, e assim aceitar o processo e favorecer, eficazmente, a sua evolução. Acontece então o compartilhar.
No zelar para, estão a conexão e a mobilização entre os indivíduos, e com isso, a união que se consolidará e perpetuará a arte, agora, muito mais do que apenas marcial. A conexão acontece interiormente, a medida em que vamos conhecendo a nós mesmos, enquanto que, a mobilização, acontece exteriormente, onde através da real manifestação da sensibilidade, percepção, e respeito, todos estão conscientes de suas limitações, habilidades, responsabilidades e atribuições, e assim, a vivência no Kung fu acontece naturalmente, e não cabe a idéia de disputar, e sim do compartilhar.
O Kwan huai, se manifesta em você quando o cuidado e o respeito aos outros e a si próprio, como individuo, se torna natural, e não é entendido como uma qualidade em especial. Para isso, a interiorização é bem vinda, quando através dela, conseguimos nos mobilizar internamente, e assim, detectarmos os nossos equívocos, e com isso por em pratica as três atitudes, sendo elas, aceitar, agir e transformar.
O praticante mais sensível, perceberá que, o Kwan Huai pode ser aplicado em muitas facetas de nossas vidas, inclusive, marcialmente. O próprio Hsu Yin Fong, alegava que boa parte das suas conclusões relacionadas a revisitação as bases, tiveram a sua inspiração nos textos do filósofo Meng Tz (孟子), nos quais ele destacava a necessidade de voltar-mos para nós mesmos, e assim examinar o nosso procedimento.
A consciência zelosa, não só pode contribuir com a perpetuação das artes e do conhecimento em sua essência, mas pode também, elevar o nível de sensibilidade do individuo, que perceberá muito melhor as coisas a sua volta.
No mais, se trata de “atenção para manter e não, tensão para não perder…”